Em poucos meses a vida de todos nós mudou. Tivemos que nos adaptar a uma realidade totalmente diversa e agora alguns de nós se prepara para retomar seu trabalho em um mundo ainda pandêmico, ainda sem vacina, ainda sem uma resposta definitiva. Como esperar que funcionários consigam ser produtivos ao se se sentirem inseguros em seu ambiente de trabalho? A mesma pergunta vale para os clientes: como esperar que eles interajam com sua marca?

A comunicação clara, assertiva e empática por parte das lideranças – CEOS, empresários, donos de estabelecimentos comerciais, diretores ou gerentes de áreas – pode exercer um papel significativo para transmitir segurança, gerar empatia e nos ajudar a caminhar neste mundo onde tudo ainda é incerto. É preciso estar atento a alguns pontos:

  1. Seja claro. As empresas e seus colaboradores, bem como clientes devem respeitar as orientações da Organização Mundial de Saúde. A retomada econômica, conforme anunciado mundialmente, não pode ser confundida com o fim da pandemia. Por isso, é preciso expor claramente – e escolher quais os meios de comunicação mais adequados para isso – quais são as regras sanitárias vigentes e se o seu negócio tem regras específicas também.
  2. Dê o exemplo. Se as regras existem é porque são essenciais e, por isso, todos devem respeitá-las, inclusive as lideranças. Como esperar que funcionários ou mesmo clientes usem máscaras corretamente, por exemplo, se o dono do empreendimento não o faz?
  3. Seja empático. Todas as mudanças pelas quais estamos passando podem ser mais incômodas para alguns do que para outros. Não sabemos qual é a realidade de cada família ou indivíduo. Assim, seja solidário com seu colaborador, entenda a sua dor e se prontifique a ajudar ou a aconselhar no que estiver ao seu alcance. Uma escuta empática pode trazer retornos fantásticos, inclusive mais engajamento dos colaboradores pois sentirão que podem confiar em suas lideranças.
  4. Seja verdadeiro e transparente. Ser empático significa se colocar no lugar do outro e isso só é possível quando se faz com verdade. Seu interlocutor vai sentir isso. E se você também não se sentir seguro quanto aos rumos da empresa, deixe claro que estará sempre buscando o melhor para todos e que vai comunicar toda mudança, toda decisão.
  5. Crie processos objetivos. Muitas empresas permanecerão com o trabalho home office e outras mesclarão entre o trabalho remoto e a presença nos escritórios. Assim, é importante adotar ferramentas de organização de tarefas/ gestão de projetos e comunicação online para minimizar erros ou gerar retrabalho.
  6. Comunique. Comunique tudo. A clareza sempre é o caminho que mais transmite segurança. Ao entrar em uma loja, o cliente deve saber como proceder. Ele deve ter confiança que os funcionários estão preparados para recebê-lo. Por outro lado, os funcionários devem se sentir seguros sobre como agir e isso implica em lhes proporcionar treinamentos e abrir a possiblidade para que esclareçam suas dúvidas. Comunicar também significa informar coisas não muito agradáveis algumas vezes.

Vale lembrar que a escolha do tom, canais, forma de comunicar e em quais momentos deve ser feita com planejamento e cuidado. Seja qual for o porte da sua empresa ou o mercado de atuação, a comunicação pode ser a luz que orienta a retomada das atividades, já tão cheia de obstáculos decorrentes da pandemia.

*Luciana Santos Tardioli é jornalista e co-fundadora as Elabore Estratégia.

Deixe uma resposta