Estivemos na semana passada, no dia 29/5, na primeira edição brasileira do @SheCommerce, uma iniciativa voltada a discutir marketing digital e empreendedorismo na internet com mulheres. Segundo Mirela Crespi, CEO do SheCommerce, mais ou menos 200 mulheres lotaram o auditório do escritório do Mercado Livre, em São Paulo, em uma audiência quase quatro vezes maior que a da primeira edição do evento, realizada em 2017 em Bangkok, capital da Tailândia. “Atribuímos esse crescimento à sede e interesse das mulheres em aprender mais, crescer, marcar presença nas grandes conferências de marketing e progredir em seus próprios negócios. A internet é o caminho para isso”, disse Mirela. E ela tem razão. Vale lembrar que, atualmente, quase 60% da decisão de compra de um produto ou serviço acontece na rede.
As sócias Camila Scarpa e Luciana Barros, empreendedoras digitais à frente do e-commerce @dondocavendetudo, um brechó premium, são exemplos dessa jornada. Elas conferiram o evento junto com a gente e, na pausa para o café, conversamos um pouco sobre a trajetória que estão trilhando: “começamos há um ano, sem esperar o momento ideal, porque ele simplesmente não existe”. Investimos em conteúdo de qualidade, autoral, que tem a ver com o conceito da nossa marca e com nosso cliente, já apostamos em assessoria de imprensa, fazemos campanhas em mídias sociais e, às vezes, no Google”, explicam.
Hoje o @dondocavendetudo cresceu tanto que as meninas tiveram de correr atrás de mais espaço para estocar os produtos e responder às vendas que acontecem 100% no Insta e Facebook.
O Shecommerce, além de debater sobre o drop shipping, modelo de e-commerce no qual o revendedor não precisa gerenciar estoque – o que permite começar o negócio com menos infraestrutura e, portanto, com menos dinheiro – também discutiu o marketing integrado, ou performance em rede, que une mídia social, conteúdo e parcerias estratégicas para ajudar a converter awareness em vendas.

A Elabore Estratégia acompanhou tudo e lista algumas dicas aqui, no nosso blog.
Dica 1 – Entenda a persona do seu negócio, para quem ele é direcionado e quais as “dores” pode curar. Observe as perguntas e dúvidas mais relevantes do seu cliente e as leve em consideração no desenvolvimento do conteúdo para site, blog ou mídias sociais, seja no pré ou pós-venda. Na internet, conteúdo é rei!
Dica 2 – Na construção do conteúdo, e também na estrutura de navegação do seu site, recorra a técnicas de SEO, que são importantes para ajudar seu negócio a se posicionar melhor nas buscas do Google, em um awareness contínuo e orgânico. Procure as melhores palavras-chave para o seu negócio e saiba quando e em que tipo de conteúdo usá-las.
Dica 3 – Campanhas no Google Ad (links patrocinados) são interessantes, quase sempre, para os estágios finais do funil de venda, ou seja, para conversar com pessoas que já foram impactadas anteriormente por um bom conteúdo sobre seu produto ou serviço e que, agora, já estão inclinadas a comprá-lo. Por isso, estar bem amparado nas dicas 1 e 2 te dá maturidade para uma campanha paga na internet, dentro de um custo-benefício maior. Lembre-se: sua estratégia de comunicação deve entrelaçar conteúdo pago e orgânico.
Dica 4 – Nas mídias sociais, saiba como usar as hashtags de forma inteligente: crie hashtags personalizadas, bem específicas, nichadas mesmo, que ajudarão o seu cliente a encontrá-lo com mais facilidade. Pense com a cabeça do seu consumidor e fuja do efeito manada. Nem sempre a hashtag mais bombada é a melhor para você.
Dica 5 – Invista no relacionamento com microinfluenciadores. Saiba quem são eles! Pequenos grupos muitas vezes são mais eficazes na conversão de engajamento para vendas do que grandes celebridades. Insira-os em seu plano de comunicação.
Dica 6 – Saiba identificar parcerias que possam dar mais visibilidade ao seu negócio. Parcerias em eventos, promoções e mesmo no compartilhamento de conteúdo são importantes para a reputação da sua marca. Use a indústria a seu favor.

Deixe uma resposta